Nota do CNG (29Jun)

Governo não marca reunião prometida em 19 de junho! Nenhuma proposta na mesa! O governo cancelou reunião agendada para o dia 19 de junho, assumindo o compromisso de um encontro para a semana seguinte. Hoje, 29 de junho, nenhuma proposta nos foi apresentada.
Nós, professores federais, protocolamos nossa pauta no início de 2011, incluindo a restruturação da carreira! A carreira de professor federal que queremos está organizada em 13 níveis, com variação de 5% entre eles, uma única linha remuneratória, progressão definida pelo equilíbrio entre tempo de carreira, formação e execução de um plano de trabalho definido por cada Universidade. Nossa proposta respeita a diversidade do trabalho docente que integra  ensino, pesquisa e extensão! Qual é a proposta do governo? Ninguém sabe, ninguém viu! Exigimos do governo que agende a negociação e mantenha sua palavra em respeito aos professores integrados à luta por uma educação pública de qualidade e socialmente referenciada, um direito de todos e todas! A greve é forte por isso!

A GREVE É FORTE! A LUTA É AGORA! PROCURE SUA SEÇÃO SINDICAL!

CONFIRA A AGENDA ABAIXO:

  • 2 A 6 DE JULHO: Professoras e professores, participem da coluna da GREVE da EDUCAÇÂO no Ato Unificado dos Servidores Federais em seu estado
  • 3 DE JULHO: Atividade nacional dos estudantes em defesa da educação nas capitais

Comando Nacional de Greve ANDES-SN
Brasília, 29 de junho de 2012.

Anúncios

Nota de Esclarecimento

Nós, do Comando Local de Greve (CLG) da ADUnB-S.Sind/Andes-SN, vimos a público esclarecer os fatos ocorridos na última Assembléia Geral (AG) da ADUnB, realizada no dia 25 de junho de 2012, segunda-feira, no Anf. 17 às 9h30.

1. A diretoria da ADUnB, desde o início de nossa greve, tem desautorizado o Comando Local de Greve (CLG), eleito democrática e legitimamente pela Assembleia Geral. Reiteradas vezes as decisões do CLG não foram encaminhadas pela Diretoria, e em função disto, o CLG decidiu submeter à AG os encaminhamentos por esta instância deliberados, no interesse de construir uma greve cada vez mais forte, para que possamos ter atendida nossa pauta de reivindicações o mais rápido possível. Na última segunda-feira, após mais de duas horas de assembleia, a diretoria da ADUnB recusou-se a colocar em votação tanto as propostas encaminhadas pelo CLG como as apresentadas pela Assembleia, órgão supremo de nossa seção sindical, segundo seu Regimento Geral (Artigo 13). Diante dos protestos dos presentes, numa atitude inusitada na história de nossa seção sindical, a diretoria da ADUnB retirou-se da Assembleia, que foi assim privada do direito de deliberar sobre os encaminhamentos feitos. Um dos encaminhamentos prejudicados foi a renovação da Representação no Comando Nacional de Greve.

2. Segundo o regimento da ADUnB (artigo 12), os órgãos diretivos são os seguintes, nesta ordem: Assembleia Geral, Conselho de Representantes, Diretoria Executiva da ADUnB, regimentalmente encarregada de pôr em prática o que esses órgãos colegiados deliberam. Lamentavelmente, o que assistimos é a completa inversão dos fundamentos políticos, éticos e jurídicos do Regimento e das tradições democráticas da ADUnB. Durante esta greve, a diretoria da ADUnB sempre reservou para si a prerrogativa de encaminhar ou não, de divulgar ou não, as decisões tomadas seja pelo Comando Local de Greve, eleito em Assembleia, seja pelo Conselho de Representantes, seja pela própria Assembleia.

3. A recusa da mesa diretora em permitir que a Assembleia deliberasse sobre a cessão de uma sala na sede da ADUnB para o funcionamento do Comando Nacional de Greve dos Estudantes é um desrespeito à Assembleia, aos estudantes e às tradições da ADUnB, historicamente solidária aos que lutam por seus direitos, além de violar o regimento (artigo 5, inciso V: “buscar a integração das entidades representativas de professores, estudantes, servidores técnico-administrativos e trabalhadores em geral”).

4. É bom lembrar que a ADUnB é de todos nós sindicalizados, que contribuímos todos os meses para a existência dessa Entidade e que temos construído as vitórias que a luta sindical conquista. A ADUnB é de todos nós e não patrimônio particular desta Diretoria ou de qualquer outra.

 5. Esperamos que a nova diretoria da ADUnB assuma uma postura diferente  na condução das Assembleias, dê encaminhamento e transparência às deliberações coletivas e conduza conosco os desígnios da Greve em curso.

 

Brasília, 29 de junho de 2012.

 

COMANDO LOCAL DE GREVE

Entidades Planejam Manifestações nesta Quinta (28) em Frente aos Prédios do BC

Enquanto faltam recursos para políticas públicas como saúde e educação, o governo destina 47,19% do orçamento para o pagamento de juros da dívida pública, além de ter concedido nos dois últimos anos R$ 155 bilhões em isenções fiscais para grandes empresas. Como forma de denunciar essa inversão de prioridades, docentes e técnico-administrativos das instituições federais de ensino realizarão um ato público na próxima quinta-feira (28), às 11h, em frente ao Banco Central.

Também serão realizadas outras manifestações em frente aos prédios do BC em outras capitais. “Decidimos realizar atos unificados em frente ao Banco Central porque este é o órgão que sustenta as políticas monetárias do governo federal. Esse ato visa denunciar as prioridades orçamentárias centradas no pagamento da dívida, em detrimento das políticas públicas que atendam aos interesses da maioria da população”, afirmou a 1ª secretária do ANDES-SN, Marina Barbosa.

Para exemplificar: em 2012, a previsão é que o governo use 47,19% para o pagamento de juros e amortização da dívida mobiliária, enquanto destinará apenas 3,18% para a educação. E se nos dois últimos anos os cortes no orçamento para as áreas sociais somaram R$ 105 bilhões, as empresas foram beneficiadas com R$ 155 bilhões em isenções. Ou seja, corta-se de um lado, o da população mais necessitada, para dar ao outro.

Para o ANDES-SN, os números tornam transparentes as prioridades do governo federal na manutenção da lógica de priorizar o capital, em contraposição às políticas sociais. “Os dados nos fornecem ainda elementos para questionar o argumento do governo de não ter recursos para atender nossas reivindicações.  Fica claro que não é falta de recursos, mas de prioridades, onde a educação é menos importante que o pagamento aos banqueiros”, conclui documento do Comando Nacional de Greve (CNG).

A greve dos docentes das instituições federais, iniciada no dia 17 de maio, continua crescendo. De acordo com o último boletim do Comando Nacional de Greve (CNG), até o final de semana passado 56 instituições tinham comunicado que estavam em greve. Acesse, aqui, o quadro elaborado pelo CNG.

 

Fonte: ANDES-SN

Assembleia Conjunta (professorxs, técnicx-administrativos e estudantes)

Assembleia Conjunta, entre os 3 segmentos – ADUnB / SINTFUB / DCE –   a ser realizada no dia 27/06/2012 (quarta-feira), às 9h30, na Praça Chico Mendes, para discussão e deliberação a respeito dos temas constantes da seguinte pauta:

  1. Informes;
  2. Mobilização.

 

A Diretoria da ADUnB

 

Moção de Apoio aos/às Colegas da UFG, UFMG, UFC, UFBA, UFSC, UFSCAR

 Nós, reunidos em assembleia geral na UnB, no dia 25 de junho de 2012 nos congratulamos e apoiamos integralmente à greve deflagrada nas IFES, onde as bases decidiram romper com o PROIFES (sindicato paralelo criado e a serviço do governo federal) e entraram em greve pela defesa de um ensino de qualidade.

Acreditamos que a luta unificada garantirá mais uma vitória do movimento docente na trajetória de mais de trinta anos de luta.

                                                                                                             

A LUTA É DE TODOS

O ANDES É DE TODOS NÓS!

Debate da Pauta Local: REUNI

O Comando Local de Greve convida todos/as os docentes para o debate sobre o Reuni amanhã, dia 26 de junho, na Casa do Professor. Esse será o segundo debate do Reuni. A sua presença é muito importante.

Aproveitamos para reforçar a nossa agenda de debates:

28/6: UAB (Universidade Aberta do Brasil), das 9h às 11h.

03/7: Moradia

05/7: Carreira, DE e produtivismo

10/7: Desafios ao sindicalismo docente

Casa do Professor (Sede da ADUnB)

26 de junho, às 14h